Cássio é repreendido publicamente pelo secretário geral do PSDB nacional por causa dos seus elogios a Bolsonaro

O senador Cássio Cunha Lima levou um puxão de orelhas do secretário geral do PSDB Nacional, deputado Marcus Pestana, por conta das censuras que fez aos marqueteiros da campanha de Geraldo Alckmin e dos afagos públicos ao candidato Jair Bolsonaro.
Mesmo dizendo que o momento não era para DR (Discutir Relação), Pestana  orientou Cássio a arregaçar as mangas e trabalhar pela candidatura do seu partido, em vez de fazer declarações que pesavam mais contra que a favor ao partido.
Essa não é uma hora propícia para DRs públicas, discutir a relação publicamente. É hora de arregaçar as mangas, cumprir o nosso papel defendendo o nome de Geraldo Alckmin como aquele que tem todas as características necessárias para o Brasil sair da crise”, disse o secretário.
Segundo Marcus Pestana, Cássio Cunha Lima está equivocado ao afirmar que existe erro de comunicação da campanha de Alckmin ao atacar Bolsonaro.
Temos o dever, eu, o senador Cássio, Geraldo Alcmin, de alertar a população para a gravidade do momento e a marcha da insensatez. O Brasil não precisa de mais radicalismo e intolerância. É uma campanha que Geraldo Alckmin está fazendo e tem que fazer. Portanto, acho que o senador Cássio está equivocado”, declarou o secretário geral do PSDB.
Candidato à reeleição, Cássio disse que a campanha de Alckmin erra ao atacar Bolsonaro. Segundo Cássio, Bolsonaro tem uma história de 27 anos como parlamentar que não o torna um ‘aventureiro’ e que o candidato do PSL é um catalizador do sentimento do povo brasileiro.
As declarações foram veiculadas durante o programa Arapuan Verdade.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Site Footer

Sliding Sidebar