Governo anuncia contingenciamento de gastos, mas gasta R$ 330 mil só com sala para Michelle Bolsonaro na Esplanada

Inaugurado há cerca de um mês, o espaço de quase 300 metros metros quadrados que abriga a primeira-dama Michelle Bolsonaro e sua equipe na Esplanada consumiu R$ 328,8 mil dos cofres públicos. A informação foi obtida via lei de acesso à informação.

O valor inclui apenas gastos com as obras para “readequar” o ambiente, já que os mobiliários usados integravam o patrimônio da União.

O local, formado por um conjunto de salas, fica no mesmo bloco dos ministros Osmar Terra (Cidadania) e Damares Alves (Direitos Humanos). É lá que está acomodado o conselho do Programa Nacional de Incentivo ao Voluntariado, que tem Michelle como presidente e dez funcionários dedicados ao projeto. Seus salários variam entre R$ 1,6 mil a R$ 5,2 mil.

Como primeira-dama, Michelle não tem direito a salário. Ela também não dá expediente todos os dias no local, segundo funcionários do ministério.

A reforma da sala ocorre em meio a contingenciamentos de gastos do governo Bolsonaro. O mais recente, de R$ 1,4 bilhão, foi anunciado semana passada.

Site Footer

Sliding Sidebar