Paraíba tem São João mais tranquilo dos últimos 5 anos, aponta Segurança

A Paraíba teve o período junino mais tranquilo desde 2015. De 20 a 24 de junho, a ‘Operação São João’, que contou com o trabalho integrado da Polícia Militar, Polícia Civil e do Corpo de Bombeiros Militar, entre outras instituições, contabilizou uma redução de aproximadamente 70% nas ocorrências de homicídios e ainda de 15% nos registros de tentativas de homicídio. Além disso, houve queda de 19% no roubo de veículos, e de 43% nas ocorrências de crimes violentos patrimoniais em geral e nenhuma ocorrência de crime contra instituições financeiras foi registrada.

Os dados do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds) apontam que de quinta-feira até segunda-feira houve oito casos de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) – homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte, contra 26 no ano passado. Em 2016 e 2017 foram contabilizadas 13 ocorrências desse tipo crime e em 2015 registrou-se 21 casos de assassinatos. No que se refere aos Crimes Potencialmente Letais Intencionais, que são as tentativas de homicídio, houve 11 casos, contra 13 em 2018.

Os roubos de veículos saíram de 77 casos no ano passado para 62 ocorrências em 2019, sendo que 20 veículos foram apreendidos pelas Forças de Segurança e devolvidos aos seus proprietários no mesmo período. Os crimes patrimoniais em geral reduziram de 133 para 75 ocorrências. Ao todo, 300 pessoas foram presas, sendo 22 por crimes graves, como homicídios, roubos de veículos, em virtude de cumprimento de mandados de prisão e por outros tipos de crimes patrimoniais. Houve ainda 20 prisões por tráfico de drogas com apreensão de entorpecentes e também a apreensão de 30 armas de fogo no Estado.

Polícia Militar – A PM atuou em 107 eventos no fim de semana do São João, com reforço do policiamento a pé, motorizado e com uso da tecnologia, garantindo a tranquilidade de milhares de pessoas que passaram pelos 96 municípios paraibanos que realizaram festejos no período. As cidades de Campina Grande, Monteiro e Bananeiras concentraram um público maior neste ano.

Policiais militares prenderam e apreenderam 158 suspeitos de vários tipos de crimes, um crescimento de mais de 15%, quando comparado com o mesmo período do ano passado, que teve 137 suspeitos detidos. O resultado traz ainda a apreensão de 12 armas de fogo e 27 veículos roubados recuperados, com mais de 1.350 atendimentos realizados pelos integrantes da instituição.

O uso da tecnologia foi um grande diferencial no trabalho da segurança, no período. No Parque do Povo, em Campina Grande, quatro acusados que eram procurados pela Justiça por crimes de tráfico de drogas, lesão corporal grave e violência doméstica foram presos, no fim de semana, após serem identificados pelo sistema de biometria facial, instalado nas câmeras de monitoramento que auxiliam o policiamento no local do evento. Além disso, o uso de drones em ruas próximas aos locais de festas diminuiu as ocorrências de furtos de veículos, já que, ao constatar a presença de suspeitos nessas localidades, equipes são acionadas rapidamente para realizar a abordagem.

Corpo de Bombeiros Militar –Foram realizadas 187 operações preventivas pelos órgãos operativos da Sesds e a atuação específica do Corpo de Bombeiros Militar socorreu 33 vítimas de acidentes de trânsito. Foram realizadas 12.226 intervenções nos três Comandos Regionais com sedes em João Pessoa, Campina Grande e Patos.

O emprego de efetivo foi reforçado em diversas cidades paraibanas, como Santa Rita, Campina Grande, Bananeiras e Sousa. Entre os atendimentos realizados, o maior registro correspondeu às ocorrências de atendimento pré-hospitalar, contabilizando 192 intervenções, principalmente aquelas realizadas em casos clínicos, como hipertensão. Um total de 29 pessoas recebeu advertências em áreas aquáticas, 52 ações de busca e salvamento foram registradas, assim como 50 ocorrências de combate a incêndio, além de três intervenções e emergência com produtos perigosos. Também foram realizadas 33 blitzen preventivas e educativas nas principais cidades, por meio de 133 pontos bases das viaturas operacionais, e 359 vistorias e fiscalizações para prevenção contra incêndio e pânico, entre elas as fiscalizações de vendas irregulares de fogos de artifícios.

Ainda houve mais de 11.300 ações de prevenção e intervenção educativa, com temas como: acidentes com fogos de artifício, comuns nesse período; prevenção a acidentes automobilísticos, para quem pegou as estradas; e prevenção a acidentes aquáticos, para o público que permaneceu no litoral paraibano.

Polícia Civil – A Polícia Civil realizou 93 autos de prisões em flagrante, instaurou 36 inquéritos por portaria, confeccionou 52 Termos Circunstanciados de Ocorrência (TCO), 14 procedimentos especiais de menor infrator, 47 medidas protetivas de urgência e cumpriu seis mandados de prisão.

A instituição aumentou a quantidade de servidores nas 20 Delegacias Seccionais instaladas no Estado. Tanto na Capital quanto no interior, delegacias ficaram abertas com plantões 24 horas, além de o efetivo da Polícia Civil ter se deslocado até pontos de grande movimento, como o Parque do Povo, mesmo com a Central de Polícia de Campina Grande também em funcionamento 24 horas nas proximidades do evento.

Só em João Pessoa, foram mobilizados 540 policiais civis, sendo 108 delegados, 90 escrivães e 342 agentes de investigação e operacionais. Em Campina Grande foram 828 servidores, sendo 95 delegados, 117 escrivães, 511 agentes de investigação e outros 104 agentes operacionais que continuarão trabalhando até o final do ‘Maior São João do Mundo’, no dia 7 de julho. Receberam reforço Cabedelo, Santa Rita, Caaporã, Conde e Pitimbu, Mamanguape, Guarabira e Belém, Itabaiana e Ingá, Queimadas, Esperança, Picuí, Monteiro, Solânea, Patos, Princesa Isabel, Itaporanga, Catolé do Rocha, Sousa e Cajazeiras.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Site Footer

Sliding Sidebar