PORQUE HOJE É SÁBADO

1 – Hoje tem feira na Torre e no Bairro dos Estados. Também tem feira em Princesa. Não sei nos outros lugares, mas tenho a impressão de que várias outras cidades adotam o sábado como dia de feira. E por que eu falo de feira? Porque na feira tem cuscuz, tem bode, tem galinha, tem costela, tem buchada, tem picado e tem mcotó. E eu gosto de comer tudo isso. E por gostar, faço planos de degustar um desses ditos cujos daqui a pouco, quando o sol nascer e o sábado surgir em toda sua plenitude.

2 – Nos sábados de antigamente a turma se reunia no Bar do Pau Mole, ali na praia de Tambaú. Quem primeiro chegava era Marcos Tavares. Pedia seu Ron Montila com Coca Cola e enchia o bucho. Depois iam chegando, pela ordem, Agnaldo Almeida, Chico Pinto, Marcos Pires, Zé Euflávio, Milton Nóbrega, Toinho Vicente e de repente chegavam as quengas bonitas e fogosas que ficavam ali pelas mesas esperando o convite para um amorzinho regado ao sal do mar.

3 – Nos meus tempos de Jacumã, logo cedinho eu seguia a pé para a Budega da Paz, do meu amigo Bigu, para comprar pão aguado e queijo de coalho. E ficava por lá vendo Bigu atender ao povo com aquele sorriso colgate e aquele jeito peculiar de anotar os fiados, cobrar os atrasados e cortar as mortadelas.

4 – Nos tempos de antanho, o Mercado da Torre tinha Seu Zé da Barraca. Ele, já velho e doente, ficava sentado numa cadeira de balanço recebendo os dinheiros dos que comiam o seu cuscuz. Havia também o povo remanescente das praias que ia pra lá tirar a ressaca logo pelas cinco matinais. Muitas moças chegavam até Seu Zé com os olhos remelentos e o cheiro das camas de motéis, doidas por um cuscuz para repor as energias.

5 – Seu Zé morreu e foi substituído pela sua simpática filha, que ainda hoje atende a freguesia, agora noutra barraca localizada na Praça da Alimentação do Mercado. Ficou chique.

6 – Tudo pronto para o lançamento do livro de Sebastião Gerbasi, dia 20, em Mamanguape. O cabra é tinhoso e está convidando pessoalmente as pessoas. Vai lotar o Centro Cultural Fenix, onde se dará o evento.

7- Vocês já notaram que o Forrock silenciou? Nunca mais teve festa por aquelas bandas. João Gregório tem alugado o local para eventos, políticos e não políticos, mas show que é bom nunca mais . E a casa de shows do Manaíra Shopping vai na mesma pisada. Parece que o povo cansou de festas.

8 – Falar em festa, daqui a pouco estarei participando dos comes e bebes em homenagem ao amigo Emerson Fitipaldi, que está aniversariando.

9 – Pretendo viajar ao sertão para comprar um jegue. Nesses tempos de carestia e de poluição, nada melhor do que andar de jegue, que só come capim e caga duro, sem melar o calçamento.

10 – Toinho Vicente nunca mais falou no dinheiro dele que alguém tomou emprestado e não pagou. Certamente recebeu a dívida.

11 – E lá se vão meus abraços sabadais para Côca de Diolindo, Né de João de Oliveira, Chiquim de Dona Cícera, Tica de Argemiro, Duda de Malaquias, Lurdes de Zé de Totô, Mario de Simpilício, Chico de Mourão, Nunú de Teté, João Passarinho, Dionísio de Vitalina, Antonio de Ana, Xixica de João Dino, Antonia de Capuxu e Cota de Benício.

12 – Uma noite o popular Chico Bocão chegou na casa da mãe do deputado Edvaldo Motta, em Patos, e falou para Dona Zefina:

– Eu vou ser candidato a vereador, comadre.

– Por qual partido, compadre Chico?

– Pelo da benevolência.

Dadá, irmã de Edvaldo, presente, saiu da sua , e perguntou:

– E o que você vai fazer como vereador, Chico?

– Vou fazer o mesmo que Edvaldo faz: beber cana e conversar besteira

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Site Footer

Sliding Sidebar