Primeira-dama da Paraíba visita artesãos que serão homenageados no 31º Salão do Artesanato

primeira dama visita homenageados do salao de artesanato foto andre lucio (9).JPG

A primeira-dama e presidente de honra do Programa do Artesanato da Paraíba (PAP), Ana Maria Lins, visitou, nesta segunda-feira (23), os artesãos Wilson Figueiredo e João de Deus, que serão homenageados no 31º Salão do Artesanato da Paraíba. O evento terá como tema “Metal que vira arte” e será realizado de 10 de janeiro a 2 de fevereiro de 2020, na Avenida Cabo Branco, em João Pessoa. Esta edição do Salão do Artesanato busca enaltecer o trabalho dos artistas que transformam sucatas, arames, zinco, chapas de ferro e outros metais em obras de arte, além de reunir artesãos de várias tipologias, como renda, madeira, couro, labirinto e outras.

Para a primeira-dama Ana Maria Lins, o artesanato paraibano é de extrema qualidade e deve ser mais divulgado. Ela frisou que as visitas são importantes para que os artesãos homenageados se sintam mais valorizados e estimulados a continuarem produzindo belas obras. “Foi muito bom conhecer de perto o trabalho dos artesãos que serão homenageados no próximo Salão do Artesanato. Eu achei fantástico esse tipo de arte com metais e, certamente, o papel do Governo do Estado é valorizar cada vez mais o artesanato local. Eles são verdadeiros artistas”, afirmou a primeira-dama.

A gestora do PAP, Marielza Rodriguez, comentou que as visitas fazem parte da proposta de humanização do programa, que busca aproximar mais o PAP do artesão, fazendo com que o artista seja sempre o protagonista. “A gente só entende a realidade do artesão visitando o ateliê, conversando com ele, vendo as obras e percebendo suas verdadeiras necessidades. Então, essas visitas fazem parte dessa estratégia de humanização do Salão do Artesanato. É importante pontuar que o metal nunca foi homenageado e aqui temos 12 artesãos listados que trabalham com esse material”, frisou.

O artista plástico, escultor e artesão de Patos Wilson Figueiredo comentou que o artesanato faz parte da sua trajetória de vida e ser homenageado no Salão do Artesanato da Paraíba é uma grande satisfação. “É o reconhecimento de um trabalho feito durante muitos anos. Cheguei ao artesanato através do arame e depois vieram as esculturas. A partir de 2009, tive meu nome mais reconhecido após uma obra minha ser exposta em frente à Universidade Federal da Paraíba. Daí em diante, não faltou mais convite e venho fazendo meu trabalho ainda mais empenhado. Fiquei muito honrado em saber que serei homenageado no Salão do Artesanato da Paraíba, é um grande reconhecimento”, falou.

Nas peças de Wilson Figueiredo é possível encontrar o imaginário do sertanejo que passeia  por ficção científica e cenas do cotidiano nordestino. O artesão tem obras espalhadas por diversas áreas públicas da capital e seu ateliê fica no bairro José Américo, em João Pessoa, podendo ser visitado com hora marcada.

O artesão João de Deus, que também será homenageado no Salão do Artesanato, mora na Paraíba há 33 anos, mas nasceu no Rio Grande do Norte. Ele era mecânico e começou por curiosidade a fazer arte com peças de sucata. Atualmente, o artesanato, além de ser uma fonte de renda, também é uma terapia para o artista que, após um problema de saúde, ficou sem conseguir andar. Muitas das peças de João de Deus reproduzem personagens como Dom Quixote e Sancho Pança, além de esculturas e peças de adorno, utilitários e móveis.

“Depois que fiquei doente, há uns cinco anos, o artesanato foi meu estímulo diário para continuar lutando e hoje é minha fonte de renda. É uma honra ser homenageado nesse Salão, estava mesmo faltando essa lembrança aos artesãos que trabalham com metal. Estou muito feliz e será uma satisfação poder participar do evento no próximo ano mostrando minhas obras”, disse João de Deus.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Site Footer

Sliding Sidebar