Sandra Marrocos condena ‘ingratos’ do PSB e diz que partido deveria conduzir Ricardo à presidência sem questionar

A vereadora Sandra Marrocos, do chamado PSB Raiz, comentou hoje a crise interna de seu partido deflagrada desde que Edvaldo Rosas foi nomeado para a secretaria de Governo de João Azevedo, definiu-se como “100% Ricardo Coutinho”, e afirmou que a discussão sobre a condução de Ricardo Coutinho à presidência do PSB da Paraíba não deveria ser nem objeto de avaliação, mas “um dever”.

“Esse assunto não era nem para estar sendo debatido. Ricardo Coutinho é nossa maior liderança, abriu mão de uma eleição certa para o Senado para garantir a continuidade do projeto do campo democrático e popular na Paraíba e apoiou e elegeu o governador que hoje está aí, João Azevedo. E se você me perguntar, eu acho que é muita ingratidão… e eu não gosto desse tipo de atitude e nem tinha o que ser questionado”, disse, durante entrevista ao Jornal da Manhã da Jovem Pan João Pessoa (102,5 Mhz).

Ao ser questionada sobre quem seria o ingrato ou ingrata, ela disse: “A ingratidão é de quem está aí querendo ficar no poder a todo custo. Se Ricardo tem toda legitimidade de ser o presidente estadual, ele é presidente da Fundação João Mangabeira, integrante da executiva nacional do PSB e uma das maiores lideranças deste país. Não vão conseguir dar rasteira em Ricardo porque a história dele é sólida. Só quem não conhece a história dele pode dizer que Ricardo é personalista porque ele abriu mão de uma eleição em nome do coletivo. Ele é muio grande”.

Finalmente, Sandra evitou comentar a articulação para uma renúncia coletiva que dissolveria o diretório estadual e causaria a queda de Edvaldo Rosas da presidência do partido. “O que eu sei é que eu estou fazendo todos os esforços internos para que Rosas entenda de uma vez por todas que Ricardo é nossa maior liderança e tem toda legitimidade para ser presidente do PSB”.

Deixe uma resposta:

Seu endereço de e-mail não será mostrado.

Site Footer

Sliding Sidebar